Data

jun 22
Expired!

22 de Junho

Aconteceu que, enquanto conversavam e discutiam,

o próprio Jesus se aproximou e ia com eles.

Lucas 24:15

Quais são os assuntos de nossas conversas? São assuntos úteis ou desperdiçamos o nosso tempo e o dos outros? Devemos aproveitar o tempo que pertence a Deus, em vez de perdê-lo em discussões sem valor. Aquele que ouve nossa conversa pode tirar proveito dela ou o expomos à tentação?

Se aquilo de que nos ocupamos é justo e edificante, Jesus pode aproximar-se de nós e ir conosco. Quando estiver em nosso meio, o assunto de nossa conversa, por mais material e prático que seja, será abençoado por sua presença. A frase “enquanto conversavam e discutiam…” tem o sentido de argumentar, apresentar opiniões, que é o perigo para os cristãos. Para os discípulos de Emaús, o assunto da discussão era o próprio Senhor Jesus, os acontecimentos recentes e aqueles que esperavam. Mas e para nós? Passamos muito facilmente da meditação sã sobre a palavra de Deus e da edificação verdadeira para os raciocínios humanos, para a exposição de nossos pontos de vista e de nossas doutrinas, mesmo em referência ao Senhor.

Atualmente, discute-se muito sobre a volta de Cristo, mas, em geral, do ponto de vista racional. Ouvem-se exposições sem vida nem poder. Não existe a sarça ardente. Falta-lhes o fogo. Seria preciso que Jesus se aproximasse para ir conosco. Ele interromperia nossos raciocínios fugazes, retirando-lhes a causa que está em nosso coração. É ele quem nos livra da necessidade de discutir e de nos fazermos ouvir.

Quando Jesus for o centro de nossa vida, nosso coração arderá dentro de nós. Então, haverá em nossas conversas a palavra do profeta Malaquias: “Então, os que temiam ao Senhor falavam uns aos outros; o Senhor atentava e ouvia…” (3:16). Nossa conversa se tornará útil, edificante, eficaz à oração e à prática em resultados.

Vamos pedir a Deus que nos ajude a manter esse nível e que o próprio Jesus se aproxime de nós e caminhe ao nosso lado.