Seja bem-vindo

Querido amigo, somos uma igreja bíblica e ativa que busca crescer na palavra do Senhor, ajudando-nos uns aos outros.

Os primeiros missionários chegaram da Suíça no início dos anos 1938. A irmã Augustine Mange trabalhava na Casa da Bíblia e morava em Mogi das Cruzes, desenvolvendo aqui um trabalho de evangelização.

Depois de muitos anos de trabalho em diversos bairros da cidade, em 1980, foi alugado o primeiro salão para realização de cultos.

Desde 2001 sob a liderança do pastor Paulo Lopes, a igreja tem batalhado e crescido no Jardim Camila, onde acontecem os cultos até hoje.

Se você mora em Mogi das Cruzes ou numa cidade da região, esperamos contar com sua presença em breve. Veja abaixo nossa programação e venha nos fazer uma visita.

História

Os primeiros missionários chegaram da Suíça no início dos anos 1938. A irmã Augustine Mange trabalhava na Casa da Bíblia e morava em Mogi das Cruzes, desenvolvendo aqui um trabalho de evangelização.

Em 1942 chegou a família Christin de Gouveia. Louise Malvina Christin de Gouveia e João Feliciano de Gouveia,  com seus filhos João David Christin de Gouveia e Carlos Miguel Christin de Gouveia. O senhor João Feliciano estava doente e os médicos disseram que o clima de Mogi das Cruzes seria bom para sua saúde. A irmã Louise ficou viúva precocemente, mas continuou firme na sua missão.

Junto com a família Christin de Gouveia veio Marthe Charlotte Montagmon. Ela comprou uma casa na Rua Noel Pereira Martins e posteriormente doou para a Ação Bíblica.

Em 1946 veio Charlotte Seller Christin.

O senhor Timóteo Mazzoni morou nessa casa entre 1957 e 1961. Ele sempre dirigiu classes bíblicas para crianças.

A madame Lopes pagou para a Ação Bíblica e morou ali até a sua morte, quando a casa ficou novamente à disposição da Ação Bíblica.

O senhor Willy Macco também desenvolveu por muitos anos uma classe para crianças em Mogi das Cruzes.

Eles evangelizaram muitas pessoas. Alguns trabalhavam na Casa da Bíblia, e frequentavam os cultos ali realizados.

Em 1956 realizou-se em Ferraz de Vasconcelos, cidade próxima a Mogi das Cruzes, o primeiro acampamento da milícia da Ação Bíblica.

Em 1968 chegou a missionária Esther Haldmann e desenvolveu um trabalho com as crianças no bairro do Caputera.

Entre 1970 e 1978 ela desenvolveu um trabalho com crianças na casa da irmã Vandira.

Paralelamente eram realizados cultos com adultos. Muitos irmãos de São Paulo vinham ajudar nesses cultos (Elze Venturini, Thomaz Adduci, Timóteo Mazzoni, Daniel e Werner Doitschinoff, etc.).

Entre 1978 e 1980 foram realizadas muitas reuniões no bairro do Socorro, na casa da dona Esther.

Em 1980 alugaram o primeiro salão para realizar cultos em Mogi das Cruzes, na Rua Otto Unger. Os irmãos Jean-Daniel Mathez e Werner Doitschinoff se revezavam na direção do trabalho.

Em 1984 chegou o irmão José Ivo Uchôa exercendo o ministério até 1988.

Em 1988 o irmão Aparecido Donizete Gardinal assumiu o ministério juntamente com sua família. Eles trabalharam até 1999.

Em 1991, liderada pelo pastor Aparecido Donizete Gardinal, a igreja ganhou uma casa no centro, na Rua Noel Pereira Martins. Essa casa foi adaptada para funcionar como igreja. Assim os irmãos ficaram livres do aluguel.

Em 2001, sob a liderança do pastor Paulo Lopes, os irmãos adquiriram uma propriedade maior no bairro Jardim Camila, onde realizam os cultos até hoje.

 Trabalho Evangelístico em Calmon Viana.

Em 1968, no bairro de Calmon Viana, cidade de Poá, a senhora Esther Haldmann fazia um trabalho de colportagem e conheceu a dona Yolanda, que anos antes já havia tido uma experiência com o Evangelho, e se interessou pela pregação de dona Esther. Ali em sua casa, na sala, começa uma classe de crianças com suas três filhas. A classe foi aumentando com as crianças da vizinhança. A classe passou para o coberto do quintal, precisou de bancos, flanelógrafos, papeis etc. Dona Elze Venturini a ajudava com as músicas, tocando acordeão. Sua dedicação era formidável. Quando alguma criança encontrava oposição dos pais, ela fazia visitas e assim foi atingindo algumas famílias com seu amor e constância, acabava por conquistar, como foi o caso de dona Maria da Hora e mais tarde dona Vera e outras.

Dona Esther fazia viagens de trem Mogi/São Paulo, São Paulo/Calmon Viana e vice-versa.

Em meados dos anos 70, numa dessas viagens de trem, o senhor Manoel ganhou um folheto, deu-o a sua esposa Maria Helena, que após lê-lo, o deixou guardado numa gaveta por três anos. Certo dia, Maria Helena se encontrava muito deprimida por causa de uma cirurgia que ia fazer, e arrumando a casa encontrou o folheto que ao relê-lo, falou-lhe muito ao coração.

Pediu ao marido do seu desejo de falar com aquela senhora do trem. Assim que o senhor Manoel a encontrou, falou-lhe que sua esposa gostaria de recebê-la em visita. Ela prontamente foi visitá-la em Calmon Viana. E ali começou um trabalho de evangelização em sua casa com a participação de seus pais, dona Nair e senhor Elias e, por conseguinte as famílias dos demais filhos.

Em meados dos anos 80, dona Esther participava do trabalho de evangelismo no Hospital Santo Ângelo, hoje Hospital Dr. Arnaldo Pezzuti Cavalcanti, em Jundiapeba, distrito de Mogi das Cruzes sob a direção do senhor Generoso, dona Célia e senhor Anibal, que levava consigo dona Maria da Hora.

Em 1983 começa o trabalho de reunião de oração na casa da dona Maria da Hora, com o senhor Elias, dona Nair, Maria Helena, senhor Manoel e dona Vera. Sempre tinha convidados que participavam, o senhor José Leite e sua esposa Antônia, dona Helena e outros. Entre 1984 e 1988 a classe de crianças passa a ser na casa de dona Vera que assume a classe por ausência de dona Esther que viajou para Suíça e ficou até 1988.

Dona Esther começou o estudo do Evangelho de João do senhor Alexander na casa do senhor José e Antônia.

Em 1988, as reuniões de estudo às quartas-feiras e as reuniões de oração às quintas-feiras passam a ser na casa do senhor Willy Macco. A classe de crianças, por longos anos, também acontecia nos quartinhos do fundo da casa do senhor Willy Macco.

Em 1989, com o falecimento do senhor Macco, a casa dele foi adaptada para ser um salão de cultos.

Em 1990, dona Esther começa um trabalho de evangelização na cadeia feminina de Poá com dona Maria da Hora, através da Marilúcia, filha da dona Maria da Hora que tinha amigos da escola, filhos de uma mulher presa, que pedia ajuda e socorro por seus filhos que estavam sós. Dona Esther ajudou e encorajou dona Maria da Hora nesse trabalho. Muitas das mulheres presas fizeram os cursos bíblicos por correspondência. O trabalho foi feito pela dona Maria da Hora por muitos anos, com a participação de dona Ema de São Paulo.

Texto baseado nas informações da irmã Esther Haldimann e redigido pela irmã Vera Lucia Maria

 

A Vida da Igreja

Endereço

Programação

DOMINGOS:
10h00 – Escola Bíblica Dominical
18h30 – Culto de Adoração

QUARTAS-FEIRAS:
20h00 – Reunião de Oração (via Zoom)